Artigo: Crise total no Território Brasileiro

Imprimir este Post

A crise total no território brasileiro estava presente durante um bom tempo. Parecia mascarada em juros disfarçados e de possibilidades de compras. Tudo era uma grande ilusão. Uma mentira que levou o povo brasileiro a se perder em compras de carros, apartamentos, terrenos, roupas e muitas aquisições supérfluas.

Muitos analistas alegam que a crise não é apenas econômica, mas principalmente política. Um conflito partidário que derruba o interesse nacional. Na verdade os nobres políticos estão apenas preocupados com os seus interesses econômicos. Indiferente de vínculo político, portanto a corrupção se espalha em diversas esferas.

Os especialistas alegam que a guerra econômica vai ter grande durabilidade. Refletem que a economia nacional vai se estender e obter muita dificuldade para sair do fundo do poço negro.

Segundo a perspicácia dos gênios da economia do mercado financeiro, as previsões negativas eram que a explosão da crise viria à tona no início de 2015. Estava previsto que um ajuste da inflação faria parte do nosso ano com muita tristeza.

As contas públicas apontam cortes essenciais para nossa sobrevivência econômica. Mudanças nas leis trabalhistas e nas aposentadorias. Um ajuste fiscal medonho vai fazer parte de nossa veracidade. Novos impostos aparecem acabando com a vida do trabalhador. Os níveis agora revelam que esse processo deve demorar bem mais tempo – podendo se instalar no segundo mandato inteiro da presidente Dilma Rousseff.

Nos primeiros meses deste ano, o mercado financeiro expressava um dólar correndo para alturas. Uma inflação galopante que levou muito desemprego e muitas falências físicas, jurídicas. O mercado já visualiza a moeda (dólar) subindo assustadoramente para o ápice de R$ 4. Durante uns 4 anos. O produto interno bruto fica negativo para os 4 anos da gestão de Dilma, portanto notoriamente juros mais elevados.

Uma crise inflacionária que vai acabar com o nosso bolso. Acima de 6,3%%. Basta ir ao supermercado e ver o preço da comida. A gasolina está muito cara. Vai ficar difícil andar de carro. O povo que gosta de pedir carona vai ter que contribuir com o combustível. Esse povinho ingrato deve valorizar quem oferta carona.

Além da crise econômica uma crise moral instalou-se na nação. Muitos escândalos políticos e muita corrupção desenfreada que levou a maior empresa do Brasil a entrar em um escândalo internacional. Para piorar as coisas a crise hídrica abraça nosso território de forma incisiva maltratando nossas plantações e nossa população que fica sem tomar banho.

Além da falta de água entramos em uma onda de calor que aterroriza qualquer cidadão, mas quem ter ar condicionado tem medo de ligar, pois a energia está muito cara. Para deixar tudo mais difícil a barragem de Minas Gerais rompeu causando um impacto ambiental sem procedentes. Alguns Municípios do Estado do Espírito Santo aguardam a avalanche de lama, que vai trazer impactos para nossa região. Esperamos que nenhuma outra tragédia aconteça ate o final do ano.

Foto www.bahiaemfocos.com.br

Jornalista e Mestre pela Universidade Federal do estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*