Produção de caqui ganha destaque em Alfredo Chaves

Imprimir este Post

A agricultura em Alfredo Chaves é bem diversificada. De acordo com a Secretaria Municipal de Agricultura, isso é possível por ser um município com regiões com altitude que variam de 16 metros e chegam a mais de 1600 metros, em relação ao nível do mar.

Na localidade de Córrego Fortuna, no distrito de São Bento de Urânia, o cultivo de caqui vem ganhando espaço. A família Fassarela plantou cerca de 3 mil pés da fruta e espera colher este ano 90 toneladas. A produção é vendida em feiras e mercados. A lavora ocupa uma área de seis hectares e está a 950 metros de altitude.

De acordo com Hilton Fassarela, 62, a intenção é qualificar a produção para comercializar no Ceasa e na própria lavoura. “Estamos verificando a possibilidade de investir em uma câmera de resfriamento e outra de climatização, a fim de podermos ter a fruta durante todo ano. Queremos ainda melhorar o manejo para colhermos frutos com padrões de qualidade”, comenta o patriarca da família, que também pretende receber visitantes na própria lavoura, onde poderão comprar direto no pé.

A cultura da família Fassarela é bem significativa, respondendo por mais de 60% de toda produção no município. Hoje, conforme Alciro Lamão Nazarino, chefe local do Incaper, o município produz cerca de 150 toneladas por ano da fruta. “Além de Córrego Fortuna, temos outros cultivos de destaque em Vila Nova de Maravilha e em São Bento de Batatal”, disse.

Hilton comercializa a fruta neste período, considerado o auge da produção, a R$ 2 o quilo. “Pretendemos ter essas câmeras para vendermos em outros meses e conseguimos um preço melhor”, almeja.

Segundo o secretário Municipal de Agricultura, Antônio Carlos Petri, o caqui é uma fruta muito procurada e a família Fassarela está no caminho certo. “A família está diversificando, além de verduras e inhame, estão produzindo caqui, um negócio que tem tudo para dar certo”, disse.

Jornalista e publicitária. Diretora Presidente dos jornais Hora Aghá e Correio Regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*