Saúde de Viana atende a toda demanda de mamografia

Imprimir este Post

A fila de espera por exames de mamografias está zerada na rede pública de saúde de Viana, é o que garante a secretaria de Saúde Stella Dias. A Prefeitura conseguiu sanar a demanda reprimida por conta dos atendimentos realizados semanalmente. Aproximadamente 80 mulheres são atendidas em Vila Velha, por meio de uma parceria com o município canela verde.

A secretária de Saúde destaca a quantidade de atendimentos já realizados. “Mais de 980 atendimentos já foram feitos e nossa meta é atender todas as mulheres presente no público alvo”, comenta. Ainda segundo Stella os exames são realizados conforme orientação do Ministério da Saúde. “Nossa população alvo são as mulheres acima de 50 anos. Elas são prioridade na realização do exame de rastreamento para detectar alguma anormalidade”, esclarece.

Para ter seu exame garantido a paciente precisa se encaminhar até uma Unidade de Saúde, agendar a consulta com o médico responsável ou enfermeiro. Em seguida, o profissional avalia se a paciente necessita da realização do exame, caso seja necessário, ela é encaminhada.

Os exames são realizados toda sexta-feira, no prédio da Secretaria Municipal de Saúde de Vila Velha (antiga faculdade Univila), na Avenida Castelo Branco, 1803, no centro de Vila Velha. Para fazer tanto a consultas, quanto o exame, são necessárias cópias dos seguintes documentos: RG, CPF, Cartão Nacional do SUS atualizado e comprovante de residência.

Prevenção
O câncer de mama é o mais incidente na população feminina mundial e brasileira, excetuando-se os casos de câncer de pele não melanoma. Políticas públicas nessa área vêm sendo desenvolvidas em Viana, com objetivo de reduzir ao máximo os casos. A Secretaria de Saúde promove palestras e rodas de conversas nas Unidades de Saúde do município, onde são levantadas questões acerca dessa temática.

A prevenção primária do câncer de mama está relacionada ao controle dos fatores de risco reconhecidos. Os fatores hereditários e os associados ao ciclo reprodutivo da mulher não são, em princípio, passíveis de mudança, porém fatores relacionados ao estilo de vida, como obesidade pós-menopausa, sedentarismo, consumo excessivo de álcool e terapia de reposição hormonal, são modificáveis. Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama.

Por Vinícius Nascimento
Foto divulgação

Jornalista e publicitária. Diretora Presidente dos jornais Hora Aghá e Correio Regional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*